Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha Com As Estações

Edição de Natal

Na Cozinha Com As Estações

Edição de Natal

Caril de Lentilhas e Maçã

Ainda não disse aqui que o picante é o sabor do outono. Se for de boa qualidade e em quantidades moderadas, ajuda a estimular os órgãos que a medicina tradicional chinesa e a macrobiótica associam a esta estação, os pulmões e o intestino grosso. E adeus constipações .

 

Por isso, hoje fica aqui uma receita picantezinha.

 

IMG_9061.JPG

 

4 doses

Lentilhas a gosto (escolhi a qualidade verde Dupuy) - 400 gr

Maçã - 2

Cebola - 1 grande ou 2 médias

Alho - 2 dentes

Pó de caril - 1 colher de chá bem cheia

Hortelã - 1 ramo

Azeite - um fio

Sal - a gosto

Gengibre - um pouco de sumo obtido ralando um pouco da raiz e espremendo as raspas

Coentros - a gosto

 

Demolhar as lentilhas por 4 horas mínimo.

 

Num tacho levar ao lume a cebola e o alho partidos em quadrados pequenos com um fio de azeite. Quando começarem a amaciar, juntar as maçãs também partidas da mesma forma e envolver bem. Cobrir a maçã com água e cozer por 10 minutos. Passado este tempo passar este molho com a varinha mágica. Este molho deve estar "aguado" dado irmos cozer aí as lentilhas.

 

Levar o tacho com o molho novamente ao lume, juntar as lentilhas, a hortelã e o pó de caril. Envolver bem.

 

Cozer por 20 minutos. Ir mexendo e ter água a ferver ao lado. As lentilhas aumentam e engrossam o molho, por isso juntar um pouco de água caso esta evapore antes das lentilhas terem cozido. No final juntar o sal.

 

Servir com arroz cozido, polvilhar com coentros picados grosseiramente e o sumo de gengibre.

 

Acompanhei com grelos de nabo escaldados, combina muito bem e é um vegetal desta época.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana

 

 

Creme de Arroz e Maçã

Um dos pequenos-almoços mais usuais e considerados equilibrados pela macrobiótica são as papas de arroz. Controlam o índice glicémico, dão energia e saciedade. Se juntarem algumas sementes ficam ainda com um aporte suplementar de proteína.

 

IMG_9025.JPG

 Para 6 Doses

 

Arroz Integral- 2 canecas

Água - 6 canecas

Limão - Casca de 1/2

Canela - 1 pau

Maçãs - 2 + 1 para enfeitar

Canela - a gosto para polvilhar

Sementes - A gosto

Sal - Uma pequena pitada

 

Demolhar o arroz integral por 4 horas mínimo, deitar essa água fora e levar ao lume num tacho com a água limpa, a casca de limão, a canela e uma pitada de sal. Quando levantar fervura passar para o bico mais pequeno do fogão e por o lume no mínimo. Também pode ser usada uma chapa difusora para que o arroz coza lentamente. Cozer por 3 horas até a água evaporar quase na totalidade e o arroz ficar macio.

 

(Após esta etapa, deitar fora o pau de canela mas deixar as cascas de limão, podem continuar a receita como indicado ou guardar o arroz por 5 dias no frigorífico e irem aquecendo conforme forem utilizando ao pequeno-almoço, juntando um pouco de água ou uma bebida vegetal à escolha. Passar com a varinha mágica antes de consumir).

 

Cortar as maçãs em cubos pequenos para um pequeno tacho, cobrir com água e deixar cozer até a maçã estar macia, 10 a 15 minutos. Juntar o arroz, retirar o pau de canela, misturar bem. Passar com a varinha mágica, servir com algumas fatias de maçã crua, canela em pó e sementes de girassol.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana 

Arroz e Maçã

Esta semana resolvi mais uma vez destacar dois ingredientes. Se a semana passada foi dedicada a uma leguminosa e a um legume. Esta semana vou falar de um cereal e de um fruto.

 

O Arroz e a Maçã.

 

IMG_9062.JPG

 

 

Arroz

 

O arroz, quando integral, é rico em minerais, cálcio, magnésio, algum ferro, fósforo, proteínas e fibras. Quando é branqueado, perde 75% dos seus nutrientes para além de serem utilizados produtos químicos neste processo.

Caso tenham um sistema digestivo debilitado aconselho sobretudo o consumo de arroz semi-integral para uma digestão mais fácil.

Para a Medicina Tradicional Chinesa e Macrobiótica, é o cereal mais indicado para o outono e o melhor para alterações intestinais.

 

 

Maçã

 

Embora esteja presente no mercado todo o ano, este é um fruto por excelência do final do verão e outono.

Diz o célebre ditado anglo-saxónico, a apple a day keeps the doctor away, uma maçã por dia afasta o médico, em português não rima mas continua a ser interessante.

 

Embora existam dezenas de variedades diferentes, na sua maioria, este fruto é sobretudo rico em fibras, vitaminas A e C e minerais como o magnésio, cálcio, potássio e fósforo.

 

É um fruto rico, equilibrado e com bastantes indicações terapêuticas.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                        Ana

Leguminosas, Cozimento, Digestão

E para terminar esta semana dedicada ao grão de bico, vou dar algumas dicas sobre a melhor maneira de confecionar as leguminosas.

 

Já por várias vezes ouvi pessoas comentarem que evitam comer leguminosas devido às consequentes alterações gastro-intestinais que sentem.

 

IMG_9057.JPG

 

E de que maneira é que podemos evitar estas situações? Ou também de que maneira é que podemos tirar um maior partido das propriedades das leguminosas mesmo que não tenhamos qualquer problema em as digerir?

 

Para começar é necessário comprar as leguminosas secas e cozer em casa. 

 

Demolhar

 

Lavar as leguminosas e colocar num recipiente com o triplo da água.

Deixar a demolhar de um dia para o outro, ou durante o dia se forem cozer à noite.

 

No final deste processo, esta água deverá ser deitada fora. Não aproveitar para cozer.

 

Cozer

 

Por numa panela de pressão, juntamente com uma tira de alga komku ou uma colher de chá de cominhos em grão. A alga ou as sementes têm um importante papel no sentido de "amaciarem" as leguminosas para uma melhor digestão.

Normalmente utilizo a alga porque dá um aporte extra de minerais.No final poderão deitar fora mas eu aconselho a juntarem ao prato que irão fazer pois não vai alterar em nada o sabor.

 

Deixar o tempo necessário na panela de pressão. Pela minha experiência o grão-de-bico necessita de 45 a 50 minutos, a maioria dos feijões cerca de 30 a 35 minutos, o feijão-frade e o azuki um pouco menos, cerca de 20 a 25 minutos.

As lentilhas dependem da qualidade, as pequenas laranja sem casca, não precisam nem de ser demolhadas, nem de panela de pressão. Cozem em 15 minutos numa panela normal.

 

O sal só deverá ser adicionado após o cozimento, se não a leguminosa não coze.

 

Após a Cozedura

 

Normalmente a questão das alterações gastro-intestinais estão também relacionadas com os acompanhamentos e a quantidade. Acompanhar as leguminosas com carne ou o tradicional bacalhau é um dos erros. Dado as leguminosas serem também uma fonte de proteína, ao fazer estas combinações estamos a ingerir quantidades anormais de proteína numa refeição.

 

Se comer leguminosas deverá acompanhar apenas com vegetais. A quantidade será de 1/3 de leguminosa para 2/3 de vegetais. E também com um cereal (arroz por exemplo) para completar a proteína (irei falar deste tema ainda esta semana).

 

E se ainda assim sentir alterações?

 

Ralar um pouco de gengibre, pegar nessas raspas e escorrer um pouco do sumo que se obtêm para temperar o prato. O sumo de gengibre é um bom auxiliar digestivo.

 

 

Guardar as leguminosas

 

Muitas pessoas optam pelas leguminosas já cozidas e enlatadas por acharem que este processo dá muito trabalho mas é claro que não dá, e aproveitam todos os nutrientes das leguminosas e evitam ingerir os conservantes utilizados.

 

Não se perde mais do que 2 minutos a lavar a leguminosa e a colocar água por cima para demolhar. Depois elas ali ficam a inchar sózinhas .

Por na panela de pressão também não leva mais do que 2 minutos, em seguida elas também ficam ali a cozer sózinhas enquanto vocês aproveitam para fazer outras coisas.

Após cozidas aguentam 5 dias no frigorífico dentro da água utilizada para cozer e também podem optar por cozer uma grande quantidade e congelar em pequenas porções para serem utilizadas posteriormente.

 

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                               Ana

 

 

Pastéis de Grão, Abóbora e Amêndoa

E para terminar estes dias dedicados ao grão-de-bico e à abóbora, aqui fica uma receita doce.

 

Para 10 Pastéis

Abóbora - 300gr

Grão Cozido - 100gr

Amêndoa com pele - 100gr

Laranja - Casca (sem apanhar a parte branca) de 1/4 de laranja

Canela - 1pau

Baunilha - 1/2 colher de café ou meia vagem

Geleia de Arroz - 175ml

Massa Filo - 60gr

 

Untitled design.png

 

Aquecer o forno na temperatura média.

 

Cortar a abóbora em pedaços pequenos depois de retirar a casca, levar ao lume num tacho juntamente com a casca de laranja, o pau de canela e mal coberta com água. Tapar e deixar cozer até a abóbora ficar macia.

 

Picar a amêndoa grosseiramente. 

 

Quando a abóbora estiver cozida, escorrer, tirar o pau de canela e deixar a casca de laranja. Juntar o grão também escorrido e desfazer com a varinha mágica. Por no mesmo tacho este puré juntamente com a baunilha e a geleia de arroz, levar ao lume por 10 minutos mexendo para engrossar. Juntar o miolo de amêndoa e mexer por mais 5 minutos.

 

Pincelar com azeite formas tipo queque, por um quadrado de massa filo, voltar a pincelar e juntar mais outro quadrado. Fazer 4 camadas assim. Colocar o recheio.

 

Levar a forno médio até a massa dourar. É rápido.

 

Aconselho a comer no próprio dia para a massa ficar mais estaladiça e polvilhados com canela.

 

24099626_1461156660671069_2052931385_n.jpg

Não os acho muito fotogénicos mas são deliciosos

 

P.S. - Este recheio será excelente para quem se aventurar a fazer fritos de Natal, tipo azevias.

 

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                              Ana

 

 

Tagine de Grão e Legumes Com Sabor a Marrocos

Eu tenho uma pequena tagine mas poderão fazer num tacho normal no fogão.

A tagine permite conservar o liquido natural dos alimentos, cozendo-los neste utensílio, cuja tampa promove o cozimento a vapor, de forma lenta e a baixas temperaturas.

 

4 doses

Grão Cozido - 400 gr

Abóbora - 400 gr

Batata-doce - 200 gr

Cebola - 1 média

Alho - 2 dentes

Canela - 1/2 pau

Cominhos - a gosto

Cravinho-da-índia - 5

Noz-moscada - a gosto

Pimentão-doce fumado - a gosto

Sal - a gosto

Gengibre - Sumo a gosto

Hortelã - 2 ramos

Coentros - a gosto para enfeitar

 

Aquecer o forno a 150º, forno 2.

 

Na tagine colocar a cebola, a batata, a abóbora cortados em pequenos cubos um pouco maiores do que o grão. Juntar o grão e temperar com as especiarias, o alho picado, o sal, o sumo que se obtem ralando o gengibre e escorrendo as raspas, os ramos de hortelã e um fio de azeite. Juntar água de cozer o grão até meio dos legumes.

 

Misturar bem os ingredientes e os condimentos.

 

Levar ao forno por 1 hora.

 

Temperar com coentros frescos picados.

 

IMG_9021.JPG

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                    Ana

 

Sopa Outonal de Legumes Assados

Esta sopa poderá ser feita de uma forma mais simples se a abóbora e a batata-doce cozerem ao mesmo tempo que os outros ingredientes mas o facto de serem assados antes dá-lhe um sabor diferente.

Para ser feita naqueles dias em que queremos sair da monotonia.

 

Para 4 doses

Batata-doce - 200 gr

Abóbora - 400 gr

Cenoura - 1 ou 2 conforme o tamanho

Lentilhas Laranja - 200 gr

Cebola - 1 média

Alho - 2 dentes

Coentros - a gosto

Sal - a gosto

Água - 1,5 lt

Sementes de Abóbora - a gosto

Azeite - a gosto

 

IMG_9007.JPG

 

Assar a abóbora e a batata-doce partida ao meio da mesma maneira como foi indicado ontem na receita de abóbora assada (mas sem os orégãos).

 

Enquanto a abóbora e a batata assam. Descascar a cebola e cortar em quartos, fazer o mesmo ao alho e cortar a cenoura em rodelas. Por numa panela, juntar a água e levar ao lume até levantar fervura.

 

Quando levantar fervura juntar as lentilhas lavadas e deixar ferver por 10 minutos. Ir verificando se é necessário juntar mais água.

 

Passados 10 minutos juntar os legumes assados partido em quartos, coentros a gosto e temperar com sal. Deixar por mais 5 minutos.

 

Passar com a varinha mágica.

 

Há uns dias tinha torrado numa frigideira quente algumas sementes de abóbora e de girassol às quais acrescentei umas pedras de sal e usei nesta receita para enfeitar e dar um pouco de crocante. Pode também regar com um fio de azeite.

 

IMG_9019.JPG

 

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                Ana

 

Abóbora Assada e Hummus de Grão e Abóbora

Abóbora Assada

 

Vou começar por apresentar esta receita porque serviu de base para duas outras receitas que aqui vou apresentar.

 

Como Acompanhamento

 

Abóbora Hokkaido - 2 fatias por pessoa (estas abóboras normalmente são pequenas)

Sal - a gosto

Orégãos secos - a gosto

Azeite - a gosto

 

IMG_8997.JPG

 

Aquecer o forno a 270º ou forno 8

 

Lavar bem e cortar a abóbora em fatias de grossura média, 2 a 3 centímetros máximo e retirar as sementes.

Por num tabuleiro de ir ao forno, temperar com um fio de azeite, umas pedras de sal e orégãos.

Levar ao forno e deixar entre 30 a 40 minutos até a abóbora ficar mole e com um ar ligeiramente caramelizado.

 

Estas fatias de abóbora são um bom acompanhamento ou complemento para enriquecer refeições outonais.

IMG_9001.JPG

 

 

Hummus de Grão e Abóbora

 

Para acompanhar pão, tostas, legumes crus ou bolachas de cereais ao pequeno-almoço, lanche, jantares leves ou como petisco.

 

Grão Cozido - 250 gr

Abóbora Assada - 200 gr (usar a receita anterior mas sem os orégãos)

Tahine - 1 colher de chá bem cheia

Azeite - 1 colher de sopa

Cominhos - a gosto

Sumo de limão - a gosto

Alho - 1 dente

Coentros - a gosto

Sal - a gosto

Sementes de sésamo - opcional para enfeitar

 

IMG_9013.JPG

 

Juntar todos os ingredientes num processador e juntar duas a três colheres de água de cozer o grão para ajudar a mistura a ficar mais homogénea e cremosa. Bater até ter a consistência indicada.

 

Enfeitar com coentros picados, colorau ou sementes de sésamo.

 

IMG_9017.JPG

 

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana

 

Abóbora e Grão-De-Bico

Nos próximos dias resolvi cozinhar usando e por vezes combinando estes dois ingredientes que adoro e que acho bastante outonais.

 

IMG_8993.JPG

 

Abóbora

 

É sem dúvida o legume que mais simboliza o outono. As minhas variedades preferidas são esta que aqui se vê na foto, a Hokkaido e também a Manteiga, por não terem aquele sabor vincado que as abóboras maiores e mais comuns têm.

A Hokkaido tem ainda a particularidade de ser bastante doce, e quando comprada biológica pode-se comer a casca, o que para além de enriquecer as refeições a nível de nutrientes, nas sopas torna os purés bastante macios e agradáveis.

 

Pela visão da medicina oriental e da filosofia macrobiótica, esta leguminosa é também indicada para quem tem tendência para desequilíbrios do aparelho digestivo e do elemento terra (solo).

 

É rica em água, fibra, potássio, betacaroteno e vitaminas do grupo B e C.

 

Conjuga muito bem com especiarias, eu gosto sobretudo de lhe juntar canela, noz-moscada e ervas aromáticas como os óregãos.

 

Depois de aberta conserva até 8 dias no frigorífico se estiver bem condicionada.

 

 

Grão de Bico

 

Confesso que é a minha leguminosa preferida e a que como mais frequentemente. 

 

Pela visão da medicina oriental e da filosofia macrobiótica, a abóbora é indicada para quem tem tendência para desequilíbrios do aparelho digestivo e do elemento terra (solo).

 

É uma leguminosa rica em hidratos de carbono, que nos dão energia, fibras que ajudam a estabilizar os níveis de açúcar, proteína, vitamina A e B 6, cálcio, ferro e magnésio.

 

Adoro combinar o grão com hortelã, salsa, coentros e a nível de especiarias, cominhos e colorau.

 

O melhor será sempre comprar seca, demolhar durante 8 a 12 horas e cozinhar na panela de pressão por 50 minutos. Pode ser congelado depois deste processo, sendo por isso também bastante prático e muito mais saudável do que comprar enlatado. 

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                        Ana

 

Bolo de Uvas e Erva Doce

IMG_8930.JPG

 

 

Farinha de Espelta Integral - 75gr

Farinha de Espelta Branca - 125gr

Fermento - 1 colher de chá 

Raspa de 1/2 Laranja

Erva-doce - 1 colher de café 

Geleia de Arroz - 175 ml

Bebida de Aveia - 150 ml

Azeite - 75 ml

Uvas Brancas - 150gr

 

Pré-aquecer o forno a 180º.

Untar uma forma com azeite e polvilhar com farinha.

Numa taça misturar bem as farinhas com o fermento, juntar a raspa da laranja e a erva-doce e voltar a misturar.

Juntar a geleia de arroz, a bebida de aveia e o azeite e envolver bem com uma colher de pau, até a mistura ficar homegéna.

Retirar as grainhas às uvas, cortar em quatro e juntar à mistura anterior mexendo sem bater muito.

Levar ao forno por 45 minutos.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                        Ana

 

 

Pág. 1/2