Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha Com As Estações

Na Cozinha Com As Estações

Volta ao Mundo a Petiscar - França - Patê de Ervilhas e Lentilhas e Socca

Embora para mim seja importante um regime alimentar sazonal e com produtos locais, também gosto muito de viajar pelo mundo através da comida. E os dias de convívio, são óptimos para isso.

 

Com o tempo a aquecer, dedico estes dias a uma viagem pelo mundo à volta da mesa, com petiscos.

 

Neste segundo dia vamos viajar até França.

 

Começamos com um patê de inspiração francesa, utilizando ervilhas (aqui usei sem ser congeladas por estarmos na época delas) e lentilhas de Puy.

 

Que poderá ser acompanhado pela Socca, uma espécie de pão/panqueca feito com farinha de grão. Encontrei a receita num livro sobre a gastronomia da Provence que tenho cá em casa e não resisti a experimentar.

 

Por isso aqui ficam duas receitas francesas para juntar à mesa numa tarde de petiscos.

 

IMG_0664.JPG

 

 

Patê de Lentilhas de Ervilhas

 

Lentilhas Verdes de Puy - 75gr

Ervilhas - 200gr 

Azeite - 2 colheres de sopa

Limão - Sumo de 1/2

Hortelã - 4 a 6 folhas médias/grandes

Cebolinho - 6 hastes

Sal - A gosto

 

Estas lentilhas cozem bem, mas se quiser assegurar uma melhor digestão das leguminosas por as lentilhas a demolhar 4 horas antes e cozer com um pouco de alga kombu.

Levar então as lentilhas ao lume com o triplo da água e após levantar fervura deixar a cozer por 25 a 30 minutos. Prove para ver se já estão cozidas. Escorra e deixe arrefecer.

 

Descascar as ervilhas, lavar bem. Por água a ferver e deitar as ervilhas. Deixar ferver por alguns minutos até estarem cozidas mas apresentarem ainda a cor verde. Escorra e deixe arrefecer.

 

Num processador por as lentilhas, as ervilhas, o azeite, o sumo de limão, a hortelã e o sal e bater até ficar cremoso. Retifique os temperos antes de servir.

 

 

Socca

 

Farinha de Grão de Bico - 200 gr

Água - 400 ml

Cominhos - 1 colher de café

Sementes de coentros - 1 colher de café mal cheia

Pimenta preta em grão - a gosto

Tomilho secos - 1 colher de café

Azeite - 3 colheres de sopa

 

Temperar a farinha com as especiarias, as ervas aromáticas e o sal e peneirar.

 

Deitar a água e o azeite numa tigela e mexer. Juntar a farinha com as especiarias aos poucos, envolvendo bem.

 

Deixar repousar por 1 hora.

 

Pré-aquecer o forno a 280º. Untar bem uma forma (normalmente usa-se uma forma redonda mas usei quadrada) com azeite e espalhar a massa de modo a que fique fina (cerca de 0,5 cm).

 

Cozer até ficar dourado, normalmente, 25 a 30 minutos.

 

Deixar arrefecer um pouco, cortar e servir ainda morna. Temperada com azeite ou a acompanhar este patê.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana

 

Volta ao Mundo a Petiscar - Portugal - Favinhas Temperadas e Cogumelos à Bulhão Pato

Embora para mim seja importante um regime alimentar sazonal e com produtos locais, também gosto muito de viajar pelo mundo através da comida. E os dias de convívio, são óptimos para isso.

 

Com o tempo a aquecer, dedico o próximos dias a uma viagem pelo mundo à volta da mesa, com petiscos.

 

Começamos pelo nosso país porque Portugal é terra de petiscos deliciosos na sua simplicidade.

 

 

Favinhas Temperadas Com Ervas Aromáticas

 

 

E porque nos estamos a despedir delas por este ano, aqui fica uma receita de favas.

 

Quando era pequena não gostava desta leguminosa. Acastanhadas, mergulhadas em gordura e acompanhadas de várias carnes era coisa que me fazia confusão. Até que as descobri assim, cozidas, ligeiramente salteadas em ervas aromáticas e aí sim, foi amor (à 20ª vista ou mais).

Hoje em dia estou sempre desejosa da época das favas e até já fiz umas mini-plantações na minha varanda que não renderam mais do que uma refeição por ano mas foi uma alegria.

 

Por isso, acho que um pratinho de favas fica bem numa mesa de petiscos.

 

IMG_0351.JPG

 

Favas 

Alho 

Coentros 

Hortelã 

Pimenta-preta 

Azeite

Vinagre de Arroz ou balsâmico 

 

Começar por descascar as favas, não custa nada, é terapêutico e se tiverem companhia é uma óptima altura para por a conversa em dia à moda antiga .

 

Por água numa panela e deixar ferver. Deitar as favas descascadas e deixar cozer com a panela destapada por uns minutos, até ficarem cozidas mas guardarem ainda a cor verde.

 

Escorrer a água (poderá usar esta água para mais tarde fazer um arroz ou uma sopa).

 

Num tacho deitar azeite até cobrir o fundo, juntar alhos laminados e alguns pés de coentros picados. Quando o azeite começar a borbulhar deitar as favas e ir mexendo para não pegar e para os alhos não queimarem.

 

Passados dois ou três minutos apagar o lume, deitar as folhas dos coentros e da hortelã picadas grosseiramente, um pouco de pimenta moída na altura (ou sumo de gengibre para uma opção mais saudável) e salpicar com umas gotas de vinagre. Envolver bem novamente.

 

 

Cogumelhos à Bulhão Pato

 

Aqui está outros dos ingredientes com os quais embirrava na infância mas com o tempo aprendi a apreciar, cogumelos.

 

 

IMG_0617.JPG

 

 

Cogumelos Paris, Marron ou outros a gosto.

Alho 

Coentros 

Azeite

Limão

 

Arranjar os cogumelo como preferir (dizem que basta serem escovados mas eu às vezes compro com tanta terra que têm mesmo de ser lavados). Cortar em lâmina e reservar.

 

Num almofariz colocar os alhos e esmagar ligeiramente, juntar os talos dos coentros picados e azeite. Misturar bem com o pilão do almofariz esmagando.

 

Levar esta mistura ao lume numa frigideira até o azeite aquecer e a mistura começar a fritar, juntar os cogumelos de imediato e deixar cozer sem tapar.

 

No final regar com sumo de limão e polvilhar com coentros picados.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana

Alguns Conselhos Para Uma Primavera Mais Saudável

29497578_1583944901725577_3201715513266799504_n.jp

 

Nós e a Natureza: A Primavera chega-nos como símbolo de nascimento, renovação e fertilidade. A natureza desperta e enche-se de vida.

 

Assim deverá ser o nosso estado de espírito nesta estação, um espírito de despertar para novos desafios, germinar novas ideias, aligeirar e crescer.

 

A Primavera e a Saúde: Para a medicina oriental é a estação relacionada com o elemento madeira/árvore e com os órgãos fígado e vesícula.

 

Numa altura em que a energia do fígado está mais activa, podem aparecer sintomas como tonturas, dores musculares e articulares, dores de cabeça, sensação de fraqueza, cansaço, irritabilidade, insónias, depressões, etc. 

 

Para contrariar estes sintomas é altura de caminhadas energéticas na natureza para "acordar" músculos e tendões, receber massagens para desbloquear a energia e as tensões musculares invernais, praticar mais exercício físico de preferência ao ar livre e fazer alongamentos.

É aconselhável praticar Chi Kung, Tai Chi, Yoga ou Pilates para trabalhar músculos e tendões e acalmar a mente. 

Devemos também estar aberto a novas experiências.

 

Para uma melhor regeneração da energia do fígado e da vesícula, o ideal será ir dormir pelas 23 horas, já que segundo a medicina tradicional chinesa, entre as 23h e as 3h, a energia destes órgãos encontra-se mais ativa e o descanso vai potenciar esta regeneração.

 

 

A Primavera Na Cozinha: A nível de alimentação, no inverno temos tendência a comer mais proteína e gordura para fazer face ao frio, por isso esta é a altura de fazer mudanças alimentares, aligeirar e desintoxicar.

 

Devemos aumentar o consumo de vegetais, começar a introduzir alimentos crus na alimentação como saladas, alimentos germinados (rebentos de lentilhas, girassol, soja, feijão mungo, etc.), aumentar o consumo de fruta crua e dos alimentos da época indicados nos quadros dos dias anteriores..

 

É importante diminuir o consumo de gordura, sal e proteína animal. 

 

O sabor associado à primavera é o ácido. É importante introduzir pequenas quantidades deste sabor na nossa alimentação, um sabor ácido obtido de forma saudável, laranjas, limões, limas, nêsperas, morangos, vinagre de cidra, vinagre de arroz, pickles caseiros, azeitonas em conserva.

Mas repito que deverá ser em pequenas quantidades, ácido a mais acaba por contrair o corpo.

 

O cereal mais indicado é a cevada que pode ser consumida em creme ao pequeno-almoço (1/3 de grãos de cevada para 2/3 de grão de arroz integral, demolhados por 4 horas), cozidos em água (5x mais em relação ao grão) condimentada com casca de limão e pau de canela, por duas a três horas e triturada com a varinha mágica para obter o creme; em sopas, em miso ou como acompanhamento de refeições como já falei na semana passada.

 

A nível de métodos culinários é a altura de diminuir o tempo de cozedura dos alimentos, preferir saltear, cozer a vapor, escaldar e aumentar o consumo de crús e germinados em detrimento dos assados e grelhados para obtermos mais hidratação com a água natural dos alimentos e introduzirmos uma energia mais viva, mais primaveril no nosso corpo.

 

Uma boa continuação de primavera a todos.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                      Ana

Caldo Rápido de Miso de Cevada e Canja de Cevada e Hortelã

Caldo Rápido de Miso

 

IMG_0302.JPG

 

Para obter mais nutrientes, poderá fazer sopa de miso utilizando legumes vários como cenoura, nabo, cebola, couve, cortados em bocados pequenos, que se cozem ao mesmo tempo que os cogumelos e a alga ou poderá fazer esta versão mais simples, caso não tenha muito tempo para cozinhar mas queira aproveitar os benefícios do miso .

 

4 Doses

Cogumelos Shitake - 8

Alga Wakamé - 1 tira com cerca 2 cm

Água - 4 canecas

Coentros ou cebolinho - a gosto

Miso de cevada (Mugi Miso) - 4 colheres de chá mal cheias

 

Demolhar os cogumelos em 1/2 caneca de água por 15 minutos, demolhar a alga em 1/2 caneca de água por 15 minutos.

Deitar os cogumelos, a alga, cortados e a água de demolhar num tacho, juntar o resto da água e levar ao lume até ferver. Baixar o lume e deixar ferver por 15 minutos.

Após esse tempo, retirar um pouco do caldo para uma tigela, juntar o miso e dissolver bem. 

Juntar o miso dissolvido ao resto do caldo, voltar a levar ao lume até começar a borbulhar e retirar logo do fogão (o miso não poderá ser fervido para não perder as propriedades).

Comer quente/morno.

 

 

Canja de Cevada e Hortelã

 

IMG_0322.JPG

 

 

4 Doses

Cevada integral - 1 caneca

Cenouras - 2

Cebolas - 1 grande

Água - 6 canecas

Hortelã - a gosto

Limão - sumo de 1/2

Sal - a gosto

 

Lavar e depois demolhar a cevada por 4 horas mínimo. No final rejeitar esta água.

Levar a cevada demolhada ao lume num tacho com a água indicada e após começar a ferver baixar o lume. Deixar cozer por 50 minutos.

Entretanto cortar a cebola em meias luas finas, a cenoura em rodelas e juntar à cevada. Temperar com sal.

Deixar cozer por mais 20 minutos.

 

Antes de servir juntar algumas folhas de hortelã e algumas gotas de limão. Se gostar poderá ainda juntar um fio de azeite.

 

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                     Ana

 

 

Infusão de Cevada Tostada e Hortelã Pimenta - Versão Quente e Versão Fria

IMG_0293.JPG

Por caneca

Cevada Tostada - 1 colher de sopa mal cheia

Hortelã-pimenta - Algumas folhas a gosto

Água - 1 caneca

 

Para obter cevada tostada poderá aquecer uma frigideira e tostar por breves minutos grãos de cevada integral que tenha em casa, mexendo sempre até ficarem com uma cor dourada, ou poderá comprar os grãos já tostados (chá muji).

 

Deitar os grãos de cevada tostada em água fria e levar ao lume até ferver. Baixar o lume e deixar ferver por 5 minutos. Apagar e deitar as folhas de hortelã a gosto. Deixar em infusão por mais 5 minutos.

 

Retirar os grãos e as folhas com um passador. Beber morno.

 

Para os dias mais quentes que se avizinham poderá experimentar esta versão refrescante. 

 

 

IMG_0311.JPG

 

Por copo

Cevada Tostada - 1 colher de sopa mal cheia

Hortelã-pimenta - Algumas folhas a gosto

Limão - 1 fatia fina

Água - 1 caneca

Geleia de Arroz - 1 colher de chá mal cheia

 

Para obter cevada tostada poderá aquecer uma frigideira e tostar por breves minutos grãos de cevada integral que tenha em casa, mexendo sempre até ficarem com uma cor dourada, ou poderá comprar os grãos já tostados (chá muji).

 

Deitar os grãos de cevada tostada em água fria e levar ao lume até ferver. Baixar o lume e deixar ferver por 5 minutos. Apagar e deitar as folhas de hortelã a gosto. Deixar em infusão por mais 5 minutos.

 

Retirar os grãos e as folhas com um passador e deixar arrefecer. Se estiver um dia quente, levar ao frigorífico.

 

Passado uma hora, cortar uma fatia de limão para um copo, juntar a geleia de arroz, mais duas folhas de hortelã e esmagar ligeiramente com um pilão de almofariz, juntar a infusão e mexer bem.

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                        Ana

Cevada - O Cereal da Primavera

IMG_0300.JPG

 

Segundo a filosofia macrobiótica, a cevada é o cereal associado à Primavera. Após um inverno onde é normal uma tendência para alguns excessos alimentares devido ao frio, a cevada vai ajudar na desintoxicação do organismo.

 

A cevada pode ser encontrada em grão (integral ou já polida após ter sido descascada, a chamada cevada perolada). Com estes dois tipos de cevada podem-se fazer sopas, cremes para o pequeno-almoço ou usuar como acompanhamento.

 

Pode-se também encontrar o grão já torrado (inteiro ou moído), para fazer infusões ou "café".

 

E pode ser encontrada fermentada em forma de pasta de Miso para fazer sopa de Miso.

 

Originária da Etiópia e trazida para a Europa durante o Neolítico, a cevada é considerada o primeiro cereal a ter sido cultivado.

 

Rica em fibras, minerais, oligoelementos, vitaminas do grupo B, é um cereal excelente para tonificar a energia em caso de fadiga ou debilidade após uma doença. Melhora o funcionamento do sistema digestivo, promove a diurese e ajuda na desintoxicação do fígado e da vesícula.

 

Precaução: Evitar este cereal se estiver a amamentar pois pode parar a produção de leite materno.

 

Nos próximos dias irei apresentar algumas receitas simples para a utilização deste cereal.

 

E não se esqueça de por sempre uma pitada de amor na sua comida e uma pitada de especiarias na sua vida.

                                                                                    Ana